No dia 02/03/2017 iniciou-se o período mais desesperador para alguns contribuintes. Trata-se do período de prestação de contas com o fisco, a Receita Federal, o temido Leão, através da elaboração e transmissão da Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física de 2017. O Leão está feroz, só esperando as informações dos milhares de contribuintes para poder através dos seus mais sofisticados sistemas de cruzamentos de dados “cravar” suas garras em suas presas, os contribuintes.

Preciso mesmo de um contador para elaborar meu
imposto de renda de pessoa física?

Ainda é tempo de refletir sobre isso…

Os contribuintes já sabem que a declaração deve ser apresentada anualmente, porém como bons brasileiros que somos só pensamos nela no período de Março e Abril de cada ano.

Mas existe uma dúvida que fica no ar: será que esse “Leão” é tão feroz assim? Existe um jargão no mudo contábil que diz que “com um bom contador, o Leão (o fisco) vira “gatinho”. Isso é uma grande verdade!

Abaixo relaciono pelo menos três razões para você contratar um bom profissional de contabilidade para elaborar sua declaração:

É o Contador que esclarece todas as dúvidas

Quando o contribuinte inicia o preenchimento da declaração tudo vai a mil maravilhas, porém é só avançar em seus menus que a complexidade aumenta com os termos técnicos dos mais variados.

Uma informação errada ou em campo errado trará consequências desagradáveis ao contribuinte, pois fatalmente a declaração ficará retida na malha fina.

Muito bem, o que declarar e onde declarar? Adquiri bens, houve resgate de aplicações financeiras, iniciei o pagamento de uma previdência privada de VGBL e PGBL, tenho dependentes, recebi doações, recebi bens por herança. E agora? Saio correndo?

Neste exato momento você pode contar com o contador, o profissional que sanará todas as suas dúvidas e responderá todos os questionamentos advindos das particularidades de sua declaração. Conte com ele!

É este profissional que poderá ajudar a não ter sua declaração na “malha fina”

Conforme mencionado anteriormente, mil dúvidas podem surgir, ainda mais se a declaração for o modelo completo, pois existem diversas situações patrimoniais, diversas fontes pagadoras, aplicações financeiras, dependentes, convênio médico e odontológico, entre outras informações e particularidades.

Todo cuidado é pouco diante de diversas informações. Um deslize, pronto. Sua decalcarão foi premiada. Eu sei você teve boa fé e a intenção não foi dar um “jeitinho”, porém dependendo da informação equivocada e a não correção em tempo hábil, gerará lançamento por oficio pelo fisco que podem chegar a 125% do valor do imposto.

O contador pode minimizar muito o risco do bloqueio da sua declaração.

É este profissional que poderá lhe trazer mais segurança

Essa é a palavra: Segurança. Quem nunca entregou a declaração e cruzou os dedos até a sua verificação e processamento que atire a primeira pedra. Até mesmo no momento de escolher a forma da declaração (se simplificada ou completa) pode ser um mártir.

A insegurança somente aumenta e faz com que os contribuintes percam o sono. Por isto que se pode contar com o auxílio do contador, que certamente lhe auxiliará aumentando sua sensação de segurança.

Por fim, se tratando de imposto de renda, é o Contador que poderá prestar o devido auxílio. Seja simplificada, ou completa, a melhor opção é contar com este profissional para que sua declaração seja feita de forma correta. Não se esqueça: o contador não tem como confirmar a veracidade dos dados, porém estando tudo consistente, é só pegar seus aparatos e domar este “leão”até que ele vire um “gatinho”.

Este artigo foi escrito por Telmon Oliveira, contador e advogado, responsável pelo departamento comercial e de contratos na  empresa PLK-ProLink Assessoria Contábil.